Enfermagem

Diabetes Mellitus: A importância do envolvimento da família para evitar as complicações agudas e crônicas

A Diabetes Mellitus é um distúrbio metabólico caracterizado por hiperglicemia, decorrente de deficiência na produção de insulina ou na sua ação, ou em ambos. A Diabetes é considerada uma doença crônica, cujo controle da sua evolução inclui o desenvolvimento de atividades de educação ao paciente e sua família para prevenir as complicações. De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes (2020), uma pessoa com diabetes mal controlada, desenvolve mais complicações do que as bem controladas.1 Algumas complicações da Diabetes estão relacionadas à condições agudas (hipoglicemia, cetoacidose e síndrome hiperosmolar hiperglicêmica não cetótica), e as complicações crônicas, microvasculares (retinopatia, nefropatia, neuropatia) e macrovasculares (doença arterial coronariana, arterial periférica e cerebrovascular).1 Desdobramento da DM em longo prazo incluem dois grandes grupos: arteriopatia e neuropatia responsável por doenças cardiovasculares e a microangiopatia, desencadeadora da retinopatia e da nefropatia. A neuropatia periférica é destacada como maior fator de risco para amputações, em estágio avançado leva a perda de sensibilidade protetora, está presente em mais de 50% de pessoas com DM e acima de 60 anos.2 As úlceras nos pés – mais conhecidas como pé diabético – e as amputações de extremidades são as de maior impacto socioeconômico e que afetam a qualidade de vida do paciente com diabetes.3 As atividades de educação para o controle da diabetes incluem informações sobre alimentação saudável, contagem de carboidratos, prática de exercícios físicos, identificação e tratamento da hipoglicemia, administração de insulina, insulinoterapia intensiva e o rastreamento de complicações. Os objetivos de controle glicêmico devem ser determinados individualmente, de acordo com a idade do paciente e a capacidade de identificar e tratar hipoglicemias.1 Estudo mostrou que a intervenção em atividade educativa em grupo e o telemonitoramento, com ligações telefônicas para discutir assuntos como o uso de medicamentos (orais, insulinas, manejo, armazenamento e técnica de aplicação), e a prática alimentar saudável, permitiram estimular e potencializar os cuidados de saúde das pessoas que vivem com a DM, de forma a atender as necessidades dessas pessoas, bem como, um viver melhor.4 Portanto, para o alcance do objetivo de controle glicêmico da DM, considera-se fundamental o envolvimento da família, pois atitudes pouco colaborativas não permitem o autocuidado acontecer, sendo a família é um fator influente na adoção de medidas de autocuidado.5 A partir do exposto, destaca-se a importância da Enfermagem envolver a família no controle glicêmico da pessoa com DM, a fim de diminuir as complicações agudas e crônicas ocasionadas pela Diabetes Mellitus.

1. Gonçalves, T., Amaral, K. M., Mosca, M., Schneiders, R. E., & Xavier, L. C. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas. Disponível em:  (https://www.diabetes.org.br/publico/images/pdf/Relatrio_Diabetes-Mellitus-Tipo-1_CP_51_2019.pdf)
2.Cuidados de Enfermagem em Diabetes Mellitus 2009, pg. 124
3. Pacientes com diabetes contam com investimentos e cuidados no SUS. Disponível em: https://aps.saude.gov.br/noticia/10336

4. Duarte, CA, Berardinelli, LMM, Sabóia, VM, Santos, MLSC & Beretta, LL. (2020). Telemonitoring in nursing: contributions to the autonomy of people with type 2 diabetes mellitus. Research, Society and Development, 9(7): 1-22, e313973953, 2020 (CC BY 4.0) | ISSN 2525-3409 | DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i7.3953 1
5. TESTON, E.F; SALES, C.A.; MARCON, S.S.. Perspectivas de indivíduos com diabetes sobre autocuidado: contribuições para assistência. Esc. Anna Nery,  Rio de Janeiro ,  v. 21, n. 2,  e20170043,    2017 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452017000200214&lng=en&nrm=iso&gt;

Enfermagem

Diabetes Mellitus: uma das principais epidemias do século XXI

15 de janeiro de 2021.

https://youtu.be/PpMTiV5aOBI

A Diabetes Mellitus (DM) é um transtorno metabólico, caracterizado por hiperglicemia (elevação da taxa de açúcar no sangue), e ocorre devido a incapacidade total ou parcial do organismo em produzir ou absorver a insulina em decorrência de fatores genéticos e ou ambientais. A insulina é um hormônio que controla a quantidade de açúcar no sangue (SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES, 2020). Como resultado das diversas alterações na homeostase corporal, a DM aumenta o risco de desenvolvimento de comorbidades como retinopatia, Insuficiência Renal Crônica e Acidente Vascular Cerebral (OPAS/OMS, 2020). A Diabetes Mellitus foi considerada pela OMS como uma das principais epidemias do século XXI, e segundo estimativas da Federação Internacional de Diabetes, a nível global, existem cerca de 429,9 milhões de pessoas com a doença. No Brasil, esse número é 16,8 milhões de pessoas vivendo com DM. O aumento de prevalência da diabetes está associado a transição epidemiológica, transição nutricional, maior frequência do estilo de vida sedentário, maior frequência de excesso de peso, envelhecimento populacional e, também, à maior sobrevida dos indivíduos com diabetes. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a glicemia elevada é o terceiro fator, em importância, da causa de mortalidade prematura, superada apenas por pressão arterial aumentada e uso de tabaco (SBD, 2020).  No Brasil, a DM foi a quinta causa de mortes, em 2018 (MS, 2020). A DM é classificada em duas formas, tipo 1 e tipo 2, os quais apresentam diferenças na sintomatologia e tratamento. O DM do tipo 1 (DM1) caracteriza-se pela destruição das células beta pancreáticas, geralmente causada por processo autoimune, determinando deficiência na secreção de insulina, o que torna essencial o uso de insulina como tratamento, para prevenir cetoacidose, coma, eventos micro e macro vasculares e morte (PROTOCOLO CLÍNICO E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS DIABETES MELLITUS TIPO 1, 2019).  A DM Tipo 2, que corresponde a 90% dos casos de diabetes, ocorre quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz; ou não produz insulina suficiente para controla a taxa de glicemia, se manifesta com mais frequência na fase adulta (SBD, 2020). Atenção aos sintomas da DM como fome e sede excessiva e vontade de urinar várias vezes ao dia. No DM do tipo 1, pode ocorrer perda de peso, fraqueza, mudanças de humor, náusea e vômito. Já no DM tipo 2, os sintomas incluem cicatrização demorada de feridas, visão embaçada e formigamento de pés e mãos (BRASIL, 2020). Diante das consequências da DM, essa doença crônica exige que os governos, sistemas de saúde pública e profissionais de saúde se conscientizaram da relevância do diabetes e de suas complicações para indivíduos e suas famílias.

Fonte:

BRASIL. Ministério da Saúde. Pacientes com diabetes contam com investimentos e cuidados no SUS. 2020.

Associação Brasileira De Diabetes. Disponível em: https://www.diabetes.org.b

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas Diabetes Mellitus Tipo 1, 2019.SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES (SBD).

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes: 2019-2020. São Paulo: Editora Clannad; 2020.

Enfermagem

Iniciativa Nursing Now Brasil

Cuidados & Famílias foi selecionado pelo Grupo de Trabalho Nursing Now Brasil para compor o conjunto de iniciativas que valorizam e apoiam as metas da campanha Nursing Now para o desenvolvimento da Enfermagem.

A campanha Nursing Now é uma iniciativa do Conselho Internacional de Enfermeiros e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que visa promover o reconhecimento da importância da Enfermagem no funcionamento dos sistemas e serviços de saúde. A inciativa Nursing Now Global foi criada no Reino Unido, em 2018, e ocorre em mais 110 países. O ano de 2020 foi escolhido como o Ano Internacional da Enfermagem, pois, comemoramos dois séculos do nascimento de Florence Nightingale, enfermeira, britânica, reconhecida pelo seu papel de liderança e por ter impulsionado as bases profissionais. No Brasil, a campanha foi implementada pelo Conselho Federal de Enfermagem e pelo Centro Colaborador da Organização Panamericana da Saúde (OPAS/OMS) para o Desenvolvimento da Pesquisa em Enfermagem.

Essa iniciativa global tem como metas:

  • Investir no fortalecimento da educação e desenvolvimento dos profissionais de enfermagem com foco na liderança.
  • Investir na melhoria das condições de trabalho dos profissionais de enfermagem.
  • Disseminar práticas efetivas e inovadoras de Enfermagem com base em evidências científicas, em âmbito nacional e regional.

A vigência da campanha Nursing Now Global foi ampliada até o final de junho de 2021 devido à pandemia do Novo Coronavírus ter revelado o grande valor da Enfermagem e a sua enorme contribuição para a sociedade.

Fontes:

Nursing Now Brasil | Campanha global chega no país: https://www.youtube.com/watch?v=S_IAolB7JZM

Nursing Now: https://www.nursingnow.org/

Nursing Now Brasil: http://nursingnowbr.org/

Organização Pan-Americana da Saúde. Diretriz estratégica para a enfermagem na Região das Américas. Washington, D.C : OPAS; 2019: http://iris.paho.org/xmlui/handle/123456789/50956

Enfermagem

2020 – ano da Enfermagem

A Organização Mundial da Saúde (OMS), declarou 2020 o ano da Enfermagem. Enfermeiros(as) e parteiras desempenham um papel vital na prestação de serviços de saúde. Essas são as pessoas que dedicam suas vidas a cuidar de mães e filhos; dar imunizações que salvam vidas e conselhos de saúde; cuidar de pessoas idosas e, geralmente, atender às necessidades de saúde, essenciais do dia a dia. Frequentemente, eles são o primeiro e único ponto de atendimento em suas comunidades. O mundo precisa de mais 9 milhões de enfermeiras e parteiras para alcançar a cobertura universal de saúde até 2030 (OMS, 2020).

Para ler mais: https://www.who.int/campaigns/year-of-the-nurse-and-the-midwife-2020

Enfermagem

15th International Family Nursing Conference (IFNC15)

O tema da 15ª Conferência Internacional de Enfermagem de Família (IFNC15) é “Enfermagem de Família ao longo da Vida”. O IFNC15 se concentrará em envolver enfermeiras, colegas interdisciplinares e famílias em todo o mundo na exploração e discussão da enfermagem familiar ao longo da vida. Nossa conferência abordará a enfermagem familiar em todos os pontos do curso de vida, ou seja, do período perinatal à infância e à idade adulta jovem, através da idade adulta à idade adulta mais velha, e no final da vida e durante os períodos de luto em qualquer período do curso de vida e incluem avanços tecnológicos. A conferência enfatizará a promoção de colaborações nacionais e internacionais entre famílias, pesquisadores, educadores e médicos para promover a capacidade e capacidade das enfermeiras de família como defensoras da saúde familiar ideal e bem-estar ao longo do curso de vida. Ler mais

Enfermagem

Estratégias de avaliação e intervenção nas famílias de crianças e adolescentes: Revisão integrativa da literatura

Esse estudo objetivou identificar evidências na literatura sobre as estratégias de avaliação e intervenção em famílias de crianças e adolescentes. A partir da síntese foram apresentados oito instrumentos, a Escala Core Pediátrico de Qualidade de Vida, Escala de envolvimento familiar, Escala de empoderamento familiar, Escala de funcionamento geral da família, Escala de avaliação de papéis familiares, Escala de qualidade de vida PedsQLTM, The assessment of strategies in family-effectiveness, e o Instrumento de síntese da avaliação compreensiva.

Lise, F., Schwartz, E., Dall’Agnol, J., Spagnolo, L. D. M., & Lange, C. (2020). Strategies for evaluation and intervention in the family of children and adolescents: integrative review of the literature/Estratégias de avaliação e intervenção nas famílias de crianças e adolescentes: revisão integrativa da literatura. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online12, 984-991. http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/7145/pdf_1

.

Enfermagem

EXPERIÊNCIAS FAMILIARES DURANTE A HOSPITALIZAÇÃO INFANTIL: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Esse estudo objetivou desvelar o que vem sendo produzido pela enfermagem sobre as experiências enfrentadas pelos familiares de crianças hospitalizadas. A partir da síntese de 31 estudos, foram apresentadas as categorias: adaptação da rotina familiar; afastamento do restante da família e dos filhos sadios; desajuste diante da estrutura física e falta de conforto hospitalar; procedimentos médicos, de enfermagem e normas ou rotinas rígidas. A hospitalização de uma criança interfere significativamente na vida dos familiares, afetando seu relacionamento familiar, a saúde física e mental e a manutenção de sua rede social. Para ler mais, acesse o link a seguir:

Bazzan JS, Milbrath VM, Silva MS, Tavares DH, Santos BA, Thomaz MM. Family experiences during child hospitalization: an integrating review. 2020 jan/dez; 12:1179-1186. DOI: http://dx.doi.org/0.9789/2175-5361. rpcfo.v12.8037.

Enfermagem

Cuidado ao cuidador profissional da saúde: revisão integrativa

O estudo objetivou conhecer os estudos realizados sobre o cuidado ao cuidador profissional da saúde. A partir da síntese dos resultados, concluiu-se que o cuidador profissional, também necessita de cuidados, pois vivencia situações que precisam ser atendidas uma vez que, ao se tornarem persistentes a acontecer, podem provocar sobrecarga, desgaste e estresse que refletirá na qualidade do cuidado desenvolvido. Ressalta-se na literatura analisada que dentre os profissionais que compõem a equipe de saúde, os enfermeiros apresentam maiores necessidades de cuidado, o que convida a ampliar os estudos e as discussões entorno desta problemática.

Diana Carolina Cristiano Castelblanco; Fernanda Lise; Eda Schwartz; Juliana Graciela Vestena Zillmer; Stefanie Griebeler Oliveira. Revista Uruguaya de Enfermería, 2020; 15(1): 1-14. https://rue.fenf.edu.uy/index.php/rue/article/download/287/308/